As relações familiares e o uso da tecnologia

Imagem

A sociedade tem se deparado com enormes mudanças nas relações familiares pelos efeitos causados através do uso intensivo de aparatos tecnológicos. Hoje, o cotidiano familiar se aproxima do ambiente de trabalho. Alguns modelos de gestão empresarial são trazidos para o lar, como por exemplo, as pessoas passaram a terceirizar tarefas domésticas, o transporte dos filhos à escola ou à passeios, os cuidados básicos com as crianças, isso é muito freqüente devido à necessidade de demonstrar um maior desempenho no emprego e por isso os pais ficam ausentes de casa na maior parte do tempo ou estendem seu trabalho ao lar. Aí entra a falta de tempo livre para a convivência entre pais e filhos.

Entra em cena o “complexo de culpa” dos pais e atitudes desesperadas para compensar sua ausência. Surge a idéia de que o mais importante não seria a quantidade de horas presentes com os filhos e sim a qualidade dessas horas. Será? Não dá pra ser pai ou mãe em um minuto, alguns hábitos e ações precisam de tempo para ser construídos.

A tarefa de encontrar um tempo para se relacionar com os filhos se torna um objetivo encarado como uma tarefa de trabalho a ser executada e as “maravilhosas” ferramentas tecnológicas surgem com a finalidade de promover essa relação.

A sociedade em rede, citada por Manuel Castells, é resultado das mudanças ocorridas em diversos âmbitos da existência humana, mas a internet é um ponto crucial para o desenvolvimento desse tipo de sociedade, e é nessa plataforma que se tem dado a relação familiar, é onde os conflitos surgem e terminam.

Juntamente com as ferramentas para comunicação à distância, temos alguns aparatos que ajudam os pais a saberem o que os filhos andam fazendo durante sua ausência, esse é um típico exemplo da sociedade de controle, citada por Gilles Deleuze. Assim como as empresas usam esses recursos para saber como os funcionários usam a internet, por exemplo, a tecnologia fornece aos pais a sensação de que, mesmo ausentes, conseguem controlar a vida de seus filhos e estar por dentro do que acontece com eles.

A família é uma instituição disciplinar e suas relações oferecem base para a construção educativa e das identidades de um indivíduo, porém a família também é uma instituição de controle e as tecnologias trouxeram novas relações de poder entre pais e filhos. Hoje, existem vários tipos de softwares que enviam relatórios periódicos aos pais descrevendo tudo o que os filhos fazem no mundo virtual. Antes, os pais escutavam conversas telefônicas ou liam o diário dos filhos.

De fato, o modelo de sociedade está em constante transformação, da modernidade à contemporaneidade temos um processo de transição entre a sociedade disciplinar, citada por Michel Foucault, para uma sociedade de controle citada por Gilles Deleuze. Saímos de um cárcere total para o controle aberto e contínuo. A família é uma parcela dessa sociedade que acompanha essa transição diretamente influenciada pela tecnologia.

Fernanda Garcia

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s